HOME BIO DISCOGRAFIA LIVRO REMIX E TRILHAS TEXTOS GALERIA LINKS CONTATO


Os 10 Melhores Discos de 2014

Rainha dos Raios - Alice Caymmi

Repertório corajoso, lúcido, desconcertante, uma voz que honra as tradições ao mesmo tempo que cospe no estabelecido e um produtor genial chamado Diogo Strausz capaz de alinhar tanta discrepância e cometer uma obra prima.  Enfim, Alice Caymmi foi senhora de tudo em 2014. E o mundo está só começando.

 

           Rock'n'Roll Sugar Darling - Thiago Pethit

 

Rock'n'roll Sugar Darling é convite explícito ao sexo, a transgressão e a imoralidade, palavras que excitam grandes artistas como Thiago Pethit. A porrada das explicit lyrics e a beleza do underground forever, fazem desse disco um dos melhores do ano. Inteligente e corajoso, Pethit sabe misturar referências sem perder o ineditismo. Produzido pelos mestres Kassin e Adriano Cintra, Thiago confirma mais uma vez com açúcar, afeto e afetação sua importância no mundo do pop brasileiro.                          

 

 

                                     O Terno

O talento de Tim Bernardes encontrou sua unanimidade no ano de 2014. Por onde andou como produtor, cantor e compositor deixou sua marca indelével. Este segundo álbum de sua banda tem caráter retrô brasileiro cheio de charme melancólico. Os meninos misturam influências como Arnaldo Batista ("Medo do Medo"), Odair José ("Bote ao Contrário"), um abraço no Raul ("Ai, Ai, Como Eu Me Iludo") e até um encontro utópico entre Lanny Gordin e o Clube da Esquina ("O Cinza"), tudo ao mesmo tempo sem deixar de ser agora. Um tapa na cara da classe media com pinta de artista.   

 

                       Encarnado - Juçara Marçal

Conceitual, musical, arrepiante. Juçara Marçal não é de hoje mas definitivamente a chegada deste seu primeiro álbum solo ao mercado a coloca em regime de igualdade e grandeza diante das tais maiores cantoras do Brasil. “Encarnado” é político, agressivo e dispensa cafunés. É tapa na moleira.

 

                           Asa - Gustavo Galo

“Asa” é íntimo sem ser secreto, existencial sem soar pretensioso e melancólico sem desperdiçar alegrias. Gustavo Galo dá a partida em sua carreira solo causando o primeiro grande disco do ano repleto de participações afetivas de seus companheiros de geração e pedindo benção aos antológicos. “Asa” é beleza pura.

 

         Anelis Assumpção e os Amigos Imaginários

"Oi, tudo bem?" assim nasce “Amigos Imaginários”, segundo álbum de Anelis Assumpção cheio de coragem musical que apresenta canções que honram a tradição de seu pai Itamar, confirmam seu lado dub jamaicano e prossegue a intenção de fazer diferença nesse mundo grande chamado sampa pop independente. "Anelis e os Amigos Imaginários" não é devaneio inconcluso, é bela renda bordada a fios de ouro.

 

                                Banda do Mar

Dando um tempo no minimalismo existencial, a dupla Mallu Magalhães e Marcelo Camelo partem para o ataque. Repleto de poesia solar, o projeto dispensa jogo implícito ou papo cabeça, a onda agora é dançar, cantar e namorar. Formando um trio com o baterista português Fred Ferreira, Mallu e Camelo só queriam fazer fazer o povo feliz. Conseguiram.

 

                     Barulho Feio - Romulo Fróes

 “Barulho Feio” é o futuro mais belo que a música brasileira possa merecer. Erguendo paredes sólidas, atravessando a rua com seu passo tímido, Romulo Froés morde, beija, sonha e tem talento. “Barulho Feio” não deixa o samba morrer. Quem não ouvir não sabe nada. Grande disco.


               Sobre Noites e Dias - Lucas Santtana

Sinfônico, urbano, contemporâneo. Essa trilogia de palavras compõe a sonoridade de "Sobre Noites e Dias" o sexto álbum de Lucas Santtana. Feito roteiro de um filme imaginário e poético, o disco traça as angústias e os prazeres de um cidadão no mundo. Que pode ser o próprio Lucas. Que pode ser você. Uma verdadeira montanha russa sentimental.


                    Moreno Veloso - Coisa Boa

 Feito Caymmi, Moreno constrói sem pressa uma obra repleta de canções amorosas, simples e perenes. Habitam em "Coisa Boa" harmonias tocantes, haikais poéticos e as eternas raízes do recôncavo baiano. Uma viagem elegante e sincera pelos caminhos da música.